Manhãs





Saímos os quatro. Deixamos a Leonor e estamos livres para um passeio de manhã. O Sebastião não quer outra coisa, veste o casaco, a mochila (linda, esta da Uriage), e diz: Passear!!! Não sai da porta até conseguir!

Desde que está em casa, e já lá vai um mês, tem vindo a transformar-se num verdadeiro "toodler" prestes a fazer dois anos. Já há birras, já há teimas e é tudo tão mais desafiante...

Continuo com uma dificuldade imensa em organizar a minha vida, responder a e mails (só com uma mão disponível leva o triplo do tempo, organizar agenda, etc) por isso, desculpem já qualquer e-mail que esteja à espera de resposta!  (I'm working on it!)

Estamos todos constipadissimos, Graça incluída, o que nos deixa de novo em alerta máximo e muito mais apreensivos.

(Estou a ter uma "mega" licença de maternidade, mas logo logo estarei mais presente e regressarei às vossas sessões)

para a semana lanço as datas do worlshop de Março em Lisboa e no Porto ;)

A dança da livre demanda

Percebi o porquê. Nunca tinha dado de mamar sem olhar para o relógio, sem cronometrar cada lado, sem escrever qual dei, sem impor algumas regras. 
Desta vez, dou. Não questiono, dou. Não sei que intervalos faz, não sei o que é uma chucha ou o aero om. Sei que tudo o que ela precisa é de mim, e está em mim, sempre, a resposta.
As bochechas e as pesagens de rotina na pediatra, dizem-me que tudo está bem, mesmo quando passa o dia a pedir para mamar ainda mais que o habitual. Sim, às vezes é mais difícil do que parece, mas sinto-me em paz e a ela também.

A dança da livre demanda. Achava que era uma prisão, uma frase bonita de se dizer (aos outros) um team de um recanto das mais fanáticas da amamentação. Calhou-me agora compreender, resta-me enturmar-me.




Le Petit Chiffon

Há uns dias a Rita, mãe de um bebé de 8 meses, enviou-me uma mensagem. Queria enviar-me uns presentes da marca que está a construir. Aceitei e agradeci, por se lembrar de nós.

Dentro de uma bolsa em forma de gota, vinha um convite: Aceita ser embaixadora da Petit Chiffon?
Achei encantador, e depressa me pus a descobrir o que era afinal esta marca.

Assim que peguei nos bodies dei conta da qualidade do algodão, biológico e tão macio. Na verdade, ainda tinha mais surpresas: duas medidas de molas, nunca antes o tamanho 1-3 tinha feito tanto sentido.

Há saquinhos deliciosos para guardar os pijamas, outro mais pequeno para guardar a chucha, há bodies em formato quimono, ou de envelope (os meus preferidos); há camisas de noite, calças com alças cheias de ideias novas e pormenores. E há uma promessa de muito mais. A premissa da Petit Chiffon: facilitar o dia a dia das mães e dos bebés. Com ideias desenvolvidas pela Rita, vão poder encontrar artigos de puericultura em algodão biológico, interiores de inverno ou verão, acessórios para a praia artigos de decoração para festas e ainda packs de psicologia ao domicilio para ajudar os pais com os mais novos no seu ambiente.

Sigam e estejam atentas :)