acordar

Sou uma romântica, sonhadora e viajo a toda a hora. Para mim a vida não faz sentido sem este imenso poder. Ser positiva, fazer mais e melhor, investir, projectar, trabalhar, criar. 

Se alguém me perguntasse qual era a altura preferida do meu dia, a resposta era rápida e certeira, e igual na situação pré e pós filhos. As manhãs: acordar.

Apesar de eu ser uma boa morning person, não gosto de ficar na cama toda a manhã e adiar o dia que começa. Devia gostar, eu sei. Nem mesmo quando estou fora de casa e longe dos miúdos. 

As manhãs começam sempre com as crianças todas na nossa cama (fora um dia ou outro em que a Leonor se antecipa e liga a televisão, e assim todos os que acordam juntam-se na sala e deixam-nos dormir mais 10 minutos). E eu adoro as crianças todas na nossa cama!e Adoro o cheiro deles, e adoro que estejam em pijamas, principalmente em babygrows, todos quentinhos e arrumadinhos, bons para uns apertões, e uma imensidão de beijos, até fugirem dali para fora.

A Graça é menos "mimosa" apesar de adorar mimos, tem um feitio mais temperado e é bem provável que quem se aproxime leve primeiro uma sapatada. Ou um beliscão!

Todos os outro ficam e disputam entre si o lugar ao meu lado (pobre pai, é um saquinho de ossos -segundo a Leonor- e ninguém o quer)!

Isto dura em média 7 minutos porque os rapazes conseguem passar à fase das lutas e saltos na cama muito rapidamente, enquanto a Leonor e a Graça se mantém incrédulas com tamanho disparate junto.









Hoje a nossa manhã começou assim, com o nascer do sol, um pouco antes das 7, e uns miudos absolutamente deliciosos.
Sim, vou sofrer quando eles crescerem!
 

da vaidade das miúdas

Cá em casa as miúdas são vaidosas. Começa por mim, a leonor é capaz de ser ainda mais vaidosa e a Graça descobriu que ama ver se ao espelho, adora ser elogiada e adora roupa. Sim com 14 meses e adora roupa. Encontra roupa e tenta vestir, enfiar pela cabeça, põe à volta do pescoço, e ri-se para nós, como se se estivesse a mostrar.
E nós incentivamos, quais tontos, dizemos: "que linda, Graça!" e ela ri-se e ri-se e ri-se. E nós rimo-nos todos.

Somos imensamente felizes, sinto isso todos os dias, e vejo nas caras deles. Que sorte temos, e que luz maravilhosa nos entra todos os dias pelo quarto e sala adentro.















cortei o cabelo à Leonor esta semana, normalmente sou eu que corto, gosto de controlar mais e já vou ganhando o jeito, apesar de algumas tesouradas aqui e ali. Tenho mais dificuldade com os rapazes, é tão mais dificil!

A Leonor vibra com estas ideias malucas, e facilmente cede aos meus pedidos. No fundo eu acho que ela tem a confiança e sabe que vai ficar gira de qualquer jeito! E não é que fica mesmo?


Happy Tribe

Ontem passei o dia, a convite da Zippy, com algumas bloggers e jornalistas (queridas), a conhecer a nova colecção primavera-verão "Happy Tribe" é o mote!

Foi um dia muito bem passado, sempre na companhia do jipe UMM, que nos levou até à Ana Morais, criadora do projecto Casulo, onde tivemos um workshop de Macramé que resultou na criação de um "agarra sonhos", onde praticamos os nós que a Ana nos ensinou!

Para além de já conhecer o trabalho da Ana há algum tempo, e de ter uma imensa admiração por ela, foi tão bom aprender um pouco desta técnica linda!

Seguimos até à Faculdade de Arquitectura do Porto, no Campo Alegre onde estava já preparado a mostra da nova colecção da Zippy. Adorei tantas e tantas peças, ideias que efectivamente geram mais conforto nos bebés, a qualidade que todos os anos vai aumentando, as gangas este ano têm uma grande presença! alguns detalhes étnicos, tecidos diferentes do que esperava, e estampas girissimas!
Esta nova colecção está a sair por fases, e todos os dias vai haver novidades nas lojas Zippy.



















































[restaurante OFICINA na Rua Miguel Bombarda]





Acabamos o dia com um almoço tardio no espectacular restaurante OFICINA do galerista Fernando Santos, que é absolutamente extraordinário, o espaço, a decoração, o conceito, o conforto e as maravilhosas obras de arte dos nossos artistas Pedro Calapez e Pedro Cabrita Reis. Lavou a minha alma voltar a cruzar-me com obras que marcaram tanto o meu percurso na Faculdade.