4 meses hoje

Já se passaram 4 meses…

Tem sido tão bom até agora. Duas crianças em casa com vontades diferentes e necessidades iguais, uma com um feitio desgraçado… é um mimo mas quando lhe dá na telha é terrível de teimosa, e de amuos, muitos!

De manhã aparece-nos no quarto como se fosse o melhor dia de sempre, feliz, radiante, atira-se para a nossa cama a respirar independência.. E depois… os beijinhos, o ‘doro-te mãe.. tété mãaaeeee… festinhas na nossa cara, beijinhos nas nossas mãos e ficamos assim os três com ela de manhã na nossa cama; Na cama ao lado está o X, acorda sempre por volta das 7h muito bem disposto e fica na conversa até se enervar de fome e às 7:30 bebe o primeiro leite. Depois vestir os bonecos, a parte que mais me diverte. Ensinar as roupas à L. ouvi-la repetir tudo o que lhe digo, vê-la a começar a vestir-se sozinha. As preferências, o cor de rosa, as flores, o gancho, os brincos da mãe que também quer ter, o casaco porque quer ir para a rua, os sapatos porque é inconcebível para ela andar sem sapatos depois de se vestir. Depois o gordo, vitaminas, soro, choro, fralda, risos, conversa, gargalhadas! Vai para a cama já vestido como um príncipe e dorme…

De vez em quando toma banho de manhã, e aí a L não se aguenta e vai também para a banheira (pequenina) de plástico e ficam lá os dois, o X encostado à L, e ela radiante, lava-o. Ás vezes também quer dar o biberon e outras vezes quer lhe dar “tau tau” mano! aiai”, se por acaso demora mais tempo a adormecer e refila um bocadinho.

Não há nada melhor que os nossos filhos, que estar com eles, estimular o seu desenvolvimento, brincar, rir, sermos parvos com eles. Ser feliz. É assim que nos sentimos cá em casa,felizes e cansados, muito cansados (sim, porque no intervalo disto tudo há mil coisas e mil “gestões” a fazer. As máquinas da roupa (pelo menos uma por dia), estender, apanhar, dobrar, organizar, guardar o que já não serve, lavar os biberons da noite, esterelizá-los, preparar o saco para o dia se vamos estar fora o dia todo. as fraldas, as mudas de roupa, o leite em pó, a garrafa de água para a menina, as camas, arrumar os brinquedos pela casa toda, fazer a sopa, pensar nas compras, nos jantares, ah! nas fantásticas coisas que as creches nos pedem para fazer com dois dias de antecedência, a última, para o dia da criança, decorar uma t shirt para eles levarem para a escola – ficou muito gira, em 5 min, depois ponho aqui. Descer com as duas crianças, montar o carro de gémeos, abrir as portas que pesam e não se aguentam sozinhas, e por fim, subir a calçada da estrela com um “camião tire” que mal vira pesa quase 30 kg de certeza! É brutal! brutal mesmo!

Um dia a minha mãe fez quase isto tudo comigo, e quando fomos buscar a L à escola ainda me disse: “E ainda vai para o jardim?” e eu “sim mãe, e ainda vou para o jardim” com o camião tire, com a calçada da estrela por subir pelo menos metade, e as crianças a quererem conversa, colo, mimo. Quando é que se pára? às 9 da noite, quando está a cozinha arrumada, os miúdos a dormir e finalmente nos sentamos, caímos para o lado.

Mesmo, literalmente para o lado. E se o X dormisse a noite toda? Era bom era, mas ainda não nos deu essa graça…. pelo menos um biberon a meio da noite, quando não é uma ou duas fraldas para mudar, e sem olhar para a cara dele, se me apanha quer conversa e estou tramada!

É um curso de gestão fantástico, de teste à paciência constante, de resistência e muito mais… Mas tem sido muito muito bom, Não podíamos estar mais felizes no nosso papel!IMG_7591

Sem comentários:

Enviar um comentário