Babies, babies, babies

 

Não tenho tido muito tempo para fotografar.. a vida corre a mil à hora e nem sempre dá para fazer tudo o que gosto.

A L está demais, crescida, já não é a mesma do verão passado. Repete tudo, diz tudo, ajuda a mãe, dá a chucha ao mano (e muitos muitos beijinhos), faz recados, acorda-nos de manhã com mil beijinhos! “ A nono acordoooou” é o que diz quando chega ao nosso quarto às 7 da manhã.

O “mano” continua gordo… não muito comprido, parece-me, mas bem maciço! Já não dorme tanto como costumava, agora dorme de manhã duas horas e outras duas ou três durante a tarde. Ás vezes duas depois do almoço e uma ao fim de tarde. O resto do tempo é passado a brincar e a palrar, a passear com a mãe ou a ouvir e mana, mas sempre sempre bem disposto! Gosta da sopa mas prefere a fruta, come a papa toda e gostava de comer mais. Não dorme a noite toda mas é raro chatear-nos com crises de choro.

Os pais estão cansados, não deles, mas de tudo o que se passa à volta…(escrituras, empréstimos, orçamentos, remax’s, crise, casa caótica de caixotes, não haver tempo para nós)

E depois, há dias que os nossos filhos não se portam como gostaríamos… e gostam de escolher os dias em que estamos mais cansados, mais esgotados… em que as viagens de carro são passadas a ouvir uma a pedir chucha ou água ou o cansativo cd de músicas infantis que comprámos para não termos que cantar o “atirei o pau ao gato” sem parar um segundo para a “menina não chorar”; e o gordo que odeia e não consegue adormecer facilmente no carro (contrariamente a todos os outros bebes, este miúdo gosta de dormir quase sempre sem o “abanico”, na calma da sua cama. Mas, felizmente, tudo acaba quando finalmente conseguimos chegar a casa, dar banho, jantar e em meia hora está tudo na cama. Aprendemos a ser práticos e rápidos; a não complicar e, acima de tudo, a não nos deixarmos enervar com o cansaço deles que nos desespera. Aprendemos que quem manda somos nós. A L já começa a ter idade e capacidade de se calar quando mandamos, de parar com as fitas e birras quando dizemos… sabe bem, este “respeitinho” que levou tanto tempo a conquistar (pelo menos com a L), o gordo já tem uns pais com muita muita escola de manhas.

Estou com vontade de pegar neles e mudar-me já para as férias na ericeira. A praia, os passeios matinais no jogo da bola entre queques e muitos amigos.

Já está quase!

IMG_9135

5 comentários:

  1. Adoro a mae destas pestes...

    ResponderEliminar
  2. Catarina, os teus bebés são um amor, e finalmente vejo uma mãe (e presumo que um pai) que não acha que os miúdos podem e devem fazer tudo o que lhes apetece. Assim é que eles se tornarão boas pessoas, e serão mais felizes por terem tido pais que os ensinaram a ser fortes, contrariando manhas e birras, como dizes!
    Fico contente por ver que és uma mãe tão presente e interessada, já é tão raro. Eu tive uma mãe que ficou em casa com os filhos, e dou imenso valor. Acho que quem pode, deve mesmo é ficar com eles! Parabéns pelo teu blog, que é óptimo de ler e ver.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Madalena Lourenço Ferreira2 de julho de 2011 às 04:50

    AMEI ESTE POST CAT!!!! TAMBEM QUERO UMA VIDA ASSIM!!!!! :D

    ResponderEliminar
  4. Obrigada pelo comentário Joana.
    Muitos beijinhos!!

    ResponderEliminar