A conversa.

Pedi que não voltasse a pôr fraldas à L.

Recusou a ideia. Não pode ser, ela não tem maturidade.

Mas como? se pede para ir fazer xixi?

Mas não controla o cocó, responde-me. Não tem maturidade.

Espere, dê-lhe uma oportunidade, não lhe ponha fraldas, senão ela vai regredir, como já aconteceu.

Resposta: Ela não está preparada.

 

 

Noutro tom: Eu não quero que ponha fraldas à minha filha.

Quem manda na minha sala sou eu.

 

Fomos à coordenadora pedagógica. Saímos de lá zangadas e assim ficaremos muito provavelmente.

Correu mal, muito mal. As respostas da educadora e os argumentos não me parecem lógicos.

1- Porque para mim (educadora) não está em processo de desfralde, uma vez que ainda não controla o cocó, e portanto deve andar de fralda.

2- Porque é humilhante para ela fazer cocó nas cuecas em frente aos outros meninos.

 

Portei-me terrivelmente no fim e disse-lhe que aquilo não passava de preguiça. Mas fizeram o que eu quis. A L está de cuecas, e espero que assim continue e que não se dê conta deste mal estar que agora ficou.

 

5 comentários:

  1. Olá, parabéns pela família, blog e trabalho.
    Não fui capaz de não comentar este assunto. Mas que incompetência.
    Eu ponderava a continuidade de uma filha minha num local assim.
    Que idade tem a menina para fazerem essa afirmação de falta de maturidade.
    Espero que essa educadora seja chamada à razão.
    Boa sorte para o desfralde (que já por si é tão chato, era escusado mais complicações).

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Marta.

    Foram dois dias muito complicados, estes últimos. A Leonor faz 3 anos daqui a um mês e meio. A educadora não foi chamada à razão infelizmente. Se o ambiente continuar assim vem para casa comigo até setembro, porque aí entra para a sala dos 3 anos e para uma educadora diferente. Mas vou esperar e ver como corre a próxima semana. Dar um tempo para tudo acalmar.

    ResponderEliminar
  3. Enquanto Psicóloga acho inacreditável tudo o que li nos dois últimos posts. Infelizmente não me surpreende porque tenho "bebido" um bocadinho do que se passa nos nossos colégios e escolas. Ainda assim não se aceita que, por mera comodidade, alguém com a função de educador subestime tanto as (imensas) capacidades de uma criança e, assim, seja um entrave ao seu desenvolvimento.
    Mesmo que não fosse pelas melhores razões e preocupada com o bom desenvolvimento da Leonor, essa educadora devia fazer o que lhe pede nem pela mais simples (e triste) razão de que é a Catarina quem está a pagar um serviço e o mínimo que pode exigir é que façam aquilo que entende que é o melhor para a sua filha.
    Força!

    ResponderEliminar
  4. olá Catarina, estamos precisamente a passar pela mesma fase neste momento. há um ano que a nossa Leonor :) mostrou sinais de querer ir ao bacio e tem-no feito desde então, sendo que no verão, onde estavam concentradas grandes expectativas em deixar a fralda, ela recusou-se definitivamente em sentar-se quer no bacio, quer na sanita.
    Entretanto, agora que ela tem dois anos e meio, chegámos a um ponto em que já não queremos mais fraldas cá em casa, sobretudo porque vai chegar mais um bebé e porque ela já é bem autónoma na creche. Sim, porque felizmente na nossa creche o incentivo a ir ao wc é muito grande (mas são poucos meninos, cerca de 12 no total da escola!!). Lá ela vai, com os amigos, em casa o filme é diferente, não consegue segurar e lá vem a tal frustração de se ver molhada/suja. E nós ficamos desapontados, mas também com pena dela.

    No vosso caso, acho triste que as educadoras se esquivem a esta tarefa, sobretudo porque é uma etapa sensível e de máxima importância! O mal de entrarmos em conflito é que, tal como no post acima, tudo nos mexe com os nervos, seja não incentivarem o uso do bacio, como não lhe darem um aval à refeição. Creio que estão perante uma situação de não retorno, em que um conflito ou má gestão tenha abalado uma relação de confiança, pela qual, a vossa Leonor poderá estar no meio :((( é um desgaste, pelo menos para mim seria...

    Boa sorte, tudo se resolverá!!
    sofia (redonda quadrada/um capítulo)

    ResponderEliminar
  5. Olá!
    Já vi que o assunto desfralde está resolvido mas no entanto achei por bem comentar. Eu enquanto mulher, mãe e educadora acho que fez muito bem em levar a sua posição até ao fim. O facto de a criança ainda não controlar o cocó não invalida que não comece o desfralde aliás é perfeitamente normal que nesta altura aconteçam alguns "acidentes". O facto de ela já controlar o xixi, já pedir para fazer significa que tem maturidade para tirar as fraldas.
    Faz xixi ou cocó nas cuecas não há crise, Lava-se muda-se a roupa.... Dá trabalho, dá! Mas é para isso que nós também trabalhamos para tornar os "nossos" meninos cada vez mais autónomos.

    ResponderEliminar