Em modo de desabafo III

E porque é que na escola precisa de ajuda para dormir e em casa dorme bem desde os 12 meses?
E porque é que ainda lhe dão o almoço se ela sabe comer sozinha desde os 15 meses?

Porquê tanta preguiça, quando todos os dias a ajudamos a ser independente?

3 comentários:

  1. Tens toda a razão Cat! Não te martirizes. Além dum problema de preguiça é um problema de mentalidade.

    Quanto mais bengala se dá, mais bengala se quer, obviamente!

    Um bom exemplo, é o da minha irmã e do meu sobrinho.

    A minha mãe ia visitá-los em breve, e como talvez te lembras a minha mãe não tem muito força e tem alguma dificuldade em subir escadas por causa da esclerose múltipla. Mal o meu sobrinho aprendeu a andar, a minha irmã pensou logo no problema que ia ser com as escadas, quando a minha mãe os fosse visitar. Aquilo que a minha irmã fez, foi ensinar o bernardo desde bebé a subir as escadas de mão dada, e a explicar-lhe até, que era porque a avó vinha tomar conta dele e não tinha muita força para o levar ao colo. Quando eu fui lá visitá-los, claro que às vezes me dava vontade de o levar ao colo e chegar lá acima num instante. Dá muito menos trabalho a curto prazo, mas a longo prazo todos beneficiam do trabalho. É como tudo na educação de uma criança. Eles percebem e adaptam-se rápido a tudo, só precisam de ser desafiados e acompanhados!

    Mas claro... é sempre mais fácil dar o peixe em vez de ensinar a pescar.

    Outro exemplo. Aqui os miúdos comem refeições paupérrimas na escola - só pão e paté. Uma autentica porcaria. A minha irmã pediu explicitamente que levassem o tempo que fosse necessário mas que ajudassem o bernardo a comer o almoço de casa, que incluía legumes e tal. Nas primeiras vezes o cesto voltou cheio, mas com esforço, o Bernardo lá foi comendo o que a MAE queria!

    Nem vale a pena argumentar com essa senhora. É obviamente uma grandessíssima ignorante e mal formada. Ninguém no seu perfeito juízo diz o que essa senhora disse (estou-me a referir àquilo de ter idade para ser tua mãe). Já para não dizer que ao fim e ao cabo, aquilo que essa senhora está a fazer é a prestar um serviço, e que, "at the and of the day" quem lhe "paga" o ordenado és tu!

    Fiquei revoltada com as coisas que li sobre essa tua experiência... finalmente decidi pronunciar-me. lol Acho que fizeste muito bem! E seja rápida ou não a adaptação da L, a decisão deve ser tua e de mais ninguém!

    Finalmente, deixo-te o link de uma senhora que também é mãe e que também tem um blog e que dá que pensar!

    http://mumstheboss.blogspot.com/2012/01/segunda-feira004-good-job-and-other.html

    Beijinhos e boa sorte!

    ResponderEliminar
  2. dá que pensar mas não significa que concorde com tudo :)

    ResponderEliminar
  3. Tão querida! Obrigada por colocares o link ! Fico contente, muito!

    ResponderEliminar