62/ 366 pequeno almoço em família

Em modo de festejo dos 26 anos do "pai mikie!"









Uma das perguntas que costumo fazer nas entrevistas às mães, é qual o dia mais caótico de sempre com os miúdos?

Pois algumas mães sortudas têm dificuldades em responder, porque têm sorte em ter filhos fáceis, ou vidas mais ou menos organizadas. Pois a minha tem dias em que não é, de todo, fácil nem organizada.

E ontem a chuva e uma virose e uns horários apertados viraram o meu dia de pernas para o ar.

Se tivesse que responder a essa pergunta, a verdade é que nem sei que história contava, é que há tantas...

De manhã tinha planeado ficar em casa a acabar umas encomendas que tenho ainda por acabar de pintura (senhores clientes, juro que estão quase). Aproveitava que o M estava até às 16:30, ele deixava os miúdos, ia com o carro à oficina e eu ficava em casa na paz e no sossego a pintar. Pois a minha querida filha pediu-me com o ar mais amoroso do mundo para ir deixá-la à escola também (e não foi preciso muito para me convencer, depois desta semana ter feito dois xixis no chão da sala de propósito justificando-se assim " a nono escondeu-se para fazer xixi porque a mãe não veio brincar comigo", estão a perceber?) ... (tenho trabalhado imenso e provavelmente brincado muito menos com ela), por isso fui. Não devia, porque acabei por ir deixar o carro à oficina no v.gama que seria só duas horas, estavamos em casa ao meio dia. Atrasou, chegámos a casa as 15:30!!! Toda a manhã de trabalho perdida...

Pedinchei uma boleia até à escola dos miúdos ao M, e de volta a casa da minha mãe para deixá-los lá (trabalhar ainda um bocado até à hora de jantar e seguir para o jantar com o A.L).

Para que o M não chegasse atrasado ao aeroporto tinhamos que sair da escola às 16:10. Quando lá chegámos o gordo tinha feito uma diarreia tao grande que não me deixaram levá-lo assim e deram-lhe banho. Resultado: M foi se embora sem nós porque não podia esperar.

Comecou a chover a potes. Eu sem guarda chuva, dois miúdos ao colo, sem uma nota no bolso. A entrada da escola a abarrotar de crianças e guarda chuvas e casacos. E agora? Multibanco mais perto a 500 metros a apanhar chuva. Não dava para apanhar taxi.

Felizmente o meu pai conseguiu vir buscar-nos mas levou imenso tempo a chegar. Quando finalmente cheguei a minha casa e ficou tudo entregue eram 19:30. Com kg's de trabalho ainda. Orçamentos, e mails, tomar banho, vestir. Sonos, dores nas costas de estar com 12 kg ao colo durante 2h, mais a L as rodas a pedir colo e cansada!

 

P.S: Para quem anda preocupado: Não vou tirar a L da escola em que está, a escola é óptima. Mesmo muito boa. Tive um desentendimento com a educadora dela, pensamos de maneira diferente em relação ao desfralde da L. Infelizmente o assunto foi longe de mais mas está resolvido. Se eu tirasse a L, era temporariamente para ser eu a tirar lhe as fraldas, em casa. E voltaria sempre à escola. E pronto, é só isso. De resto só tenho a dizer bem!

2 comentários:

  1. E no fim, no fim, gostamos disto!

    A vida era melhor se fôssemos uns solteirões fashion com ida diária ao ginásio e férias em sítios chiques?

    ResponderEliminar
  2. Adoramos... principalmente por cada vez mais ter a certeza que isto que escolhemos ser, não é para todos. Mesmo. E sabe bem fazê-lo felizes e ver os nossos filhos a crescer assim também. Mesmo com dias caóticos. Quem não tem?

    ResponderEliminar