Maternity Nurse- Carolina Albino

A todos que têm bebés dificéis, que não dormem à noite nem de dia. A todos os que precisam (como eu precisei...) de uma ajuda e orientação nos primeiros meses, e não só.

A entrevista a uma mulher fantástica.


E algumas dicas que nos deixa para lidar com estas duas situações:

Recém-nascidos:

É comum os pais acharem que os seus bebés não precisam de ser ensinados ou orientados, ou até que não aprendem o que lhes ensinamos, e daí que não cuidem e cheguem mesmo a não assumir essa postura de orientação, inadvertidamente... Os Pais esperam demasiado que seja o bebé a dar as guias e a orientação... Na maior parte dos casos não compreendem como isso pode ser feito na prática... Ainda que assumam na maioria dos casos que é um contra-senso, os pais não têm toda a informação correcta para mudar essa ordem... A verdade é que ninguém os informa, e o que ouvem na maternidade, acaba por seguir como uma sentença no seu inconsciente, até para depois da 1ª infância: "Agora já sabe, o seu bebé é que manda". Os nossos bebés são a coisa mais importante das nossas vidas, as nossas prioridades por tantas e todas as razões, e por isso é importante e sensato que não lhes seja  atribuída essa função e  responsabilidade, nem podem nem têm como escolher ou saber o que lhes faz bem, excelente, mal ou muito mal...Os pais inevitavelmente acabam por encostar-se num perfil de reacção, mas esquecem-se que os bebés só usam o choro em extremos de necessidades seja de desconforto, seja de fome ou cansaço ou dor...É o seu mecanismo de sobrevivência, não deve ser a única base de resposta...Pode-se evitar que se chegue aos extremos, e existe como fazê-lo de modo adequado com a ajuda de uma boa e ajustada rotina e medidas complementares congruentes. Apenas agir nos extremos de necessidade não ajuda em nada o desenvolvimento da relação pela confiança, obriga o bebé andar sempre a lutar pelas suas necessidades mais básicas serem satisfeitas.  Assim como não se espera que uma criança de 3 anos escolha ou decida como regular o seu dia, quando deve ir dormir porque está cansado, ou como organizar o seu dia de modo a respeitar as suas necessidades reais de bem-estar físico excelente, pois não têm consciência e conhecimento para tal. Porque haveria de se estar sempre à espera dessas “comunicações de extremo” para agir, numa vida tão recente acabada de nascer, que precisa de tanta ou mais orientação que outra fase, para se sentir segura e confortável?  A verdade é que a confiança e a segurança desenvolvidas desde cedo através de rotinas proactivas, ajustadas, trazem benefícios inestimáveis para os bebes, e claro o sono é um dos beneficiados.

- Rotinas que os pais tentam desenhar com base nas suas necessidades e são orientadas pelos bebés, em vez de rotinas desenhadas com base nas necessidades dos bebes, orientadas activamente pelos Pais. A rotina só é um benefício para o bebé, e claro para todos, quando é ajustada e adequada, senão não funciona mesmo, e onde se vê logo se funciona ou não, é no campo do sono, diurno e nocturno.

-Desde a revolução liberal que a educação passa muito pela liberdade sem cunho de responsabilização...os filhos tendencialmente mandam, a autoridade ficou manchada com o fascismo, e agora recuperamos lentamente essa fobia à disciplina e autoridade, mas que na educação das crianças a par da compreensão e afecto, são ferramentas fundamentais de segurança e crescimento....

-Pais experimentarem todas a técnicas/abordagens e mais alguma e não seguirem firmes com nenhuma até ao fim...

- Ignorar o choro de um bebé recém-nascido por se acreditar que é manha, é capaz de ser a coisa que mais me impressão me faz! Os recém-nascidos (até um mês), não costumam ter manhas, de qualquer modo as manhas não são nada mais nada menos que a descoordenação entre o que foi dado ao bebe a aprender ainda que inadvertidamente, e aquilo que os pais esperam que ele saiba….

- Os pais acharem que o bebé é apenas um pertence seu, não o vendo como um indivíduo a respeitar, a dotar...baseando a sua relação em apenas hábitos que não levam a conquistas importantes em cada fase de crescimento e de capacitação,  antes desenvolvem o elo de relação através do da dependência.

-Ignorarem a sua necessidade de regular os ritmos de sono como meio de pro-acção e prevenção de eventuais retrocessos neste campo, de forma adequada e desde cedo! Os resultados são tão diferenciadores e evitam tantas dores de cabeça...

Terrible Two

-Esta idade precisa de muita dedicação e tempo, é uma idade de avanços desencontrados, eles estão poderosos em conquistas físicas, mas o cérebro ainda está a desenvolver o seu lugar de identidade,  sentem-se poderosos cada dia mais. Os problemas aparecem quando as crianças se começam a afirmar como não extensões dos Pais chocando muito pela contra-reacção normal, é preciso tempo, paciência e canalizar essa força toda para as atitudes mais correctas...

Uma das maiores falhas de timing é que muitas vezes quando a criança chega aos 2, ou a Mãe está grávida ou já tem um bebé novo, isso é muito complicado para a criança e para os pais tendo em conta, que é preciso de tempo e dedicação!

pela Carolina Albino.

Saibam mais aqui

1 comentário:

  1. Já conhecia este trabalho maravilhoso e tão importante!
    Amei as fotos... as usual;)

    ResponderEliminar