Hoje
















































Ultimamente só me passa pela cabeça que continuo cansada, muito cansada. Férias e trabalho não jogam. Mas precisava de parar até arrancar setembro, e outubro! Para aguentar essa temporada exaustiva e para me preparar para as noites e dias que se adivinham a partir de Janeiro.

Quando olho para estas fotografias vejo o Xavier crescido, alto. Vejo a Leonor feminina como sempre. Mais teimosa que o habitual, mais desafiadora que o costume, terrible 4, será? Mas um amor, como já me habituou. Ele está um encanto. Já nem falo da graça que tem, da maneira como conversa com todos, mesmo com quem não conhece. Apresenta-se, conversa, troca impressões, diz que vai trabalhar... enfim! Quem tem a sorte de se cruzar com ele nestes dias não consegue disfarçar o sorriso.
E depois está sempre a dar-me beijinhos e festinhas. A mim, aos avós, aos tios, à irmã... uma delícia!

Cada vez mais compreendo o que a minha mãe me diz sobre os filhos e a educação que lhes damos. Gostamos sempre de todos, de uma forma que não pode ser quantificável, mas não mostramos da mesma maneira. Da Leonor exijo: exijo sempre muito porque sei do que é capaz. Conheço o feitio, os dramas e os pontos fortes; no entanto tem imensos mimos e imenso "colo" sempre, tem direito às noites em que o pai não está, de as passar comigo; dos programas que fazemos sozinhas, de um estatuto de mana mais velha muito bom.
O Xavier é aquele miúdo que custa zangar. Faz lembrar alguém, que tinha sempre más notas a matemática e a professora dizia à sua mãe: "Não te zangues com ela, vais estragá-la".

É assim que vejo o Xavier, tal e qual. Mas infelizmente ainda temos muito para limar daquele feitio completamente inconstante e maluco. O que funciona com a Leonor não funciona com ele; uma palmada ao Xavier é a mesma coisa que nada, assim como um grito. Já percebi que ele vai lá com várias repetições, na voz mais calma do mundo. Ou um castigo. É remédio santo.

A Leonor precisa de mais, sempre foi mais birrenta, mais chorona, mais exigente. Sempre no limite.

Agora que é "crescida" controla-se bem, com meia dúzia de conversas. Mas parece atravessar uma nova fase- e vai ser sempre assim, quando achamos que já estão "bem" aparece uma nova, para nos dizer que o nosso trabalho de pais não termina aqui.

As fotografias começam as 9:30 da manhã e terminam às 19h. A nossa praia em versão "a melhor luz do dia".


5 comentários:

  1. Que fotografias tão bonitas. Adorei a névoa, as poças e as algas. Não conheço bem a praia da Ericeira, mas as fotografias estão mesmo encantadoras. Boas férias!

    ResponderEliminar
  2. Estão maravilhosas!!
    E ao olhar para as que estão os 3... lembrei-me que não tenho nenhuma na praia com a minha filha... sou quase sempre eu que ando de máquina atrás... tenho que tratar disso nas férias!! :)
    Boas férias!

    ResponderEliminar
  3. Que fotos maravilhosas. Apesar de cansada (e não querendo abusar), não pensa em fazer sessões no Algarve? Gostava muito.
    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Lindos <3
    Adorei as vossas fotos, a Catarina está com um ar tão feliz.
    Beijinhos e boas férias.

    ResponderEliminar
  5. que lindos, pá!!
    e achei tão engraçado, temos fatos de banho iguais :D só não estou grávida do 3º!!!

    ResponderEliminar