O Outono

Nem sei como estamos a chegar ao final de Setembro. Tem sido um mês tão cheio e tão compensador. Estou a sobreviver a Setembro, e bem. A ciática tem sido a única coisa que me impede de fazer mais, mas não me impede de fazer melhor.
Os miúdos adaptaram-se à escola num abrir e fechar de olhos, já é a segunda casa, estã lá muito bem. O bebé anda sossegado de dia, e faz-se notar à noite, quando finalmente paro. Amanha fazemos a ecografia morfológica, e estou doida para confirmar se vamos ter uma rapariga. Doida para confirmar quq está tudo impecável.

O Xavier fala cada vez melhor, explica-se e usa expressões muito giras. Algumas menos queridas por nós... é palhaço, sabe que tem graça e faz-se valer disso. Está a ficar enorme para a cama de grades, e está a chegar a altura de rever os quartos, prepar o do bebé, e conto com uma ajuda importante nestas alturas, a fusion. Já tenho algumas ideias do que gostava de fazer, mas ajuda profissional é sempre importante para confirmar, dizer que não resulta ou apontar outro caminho. É a nossa casa, a casa em que nos sentimos e família, como na primeira.

A Barriga está enorme, e bem podia estar já no final da gravidez, mas nao, ainda nos faltam 4 meses, fundamentais, porque nada está pronto! Todos dizem que somos corajosos por querermos um terceiro filho. Tem apenas uma (ou várias explicações): ter dois é muiiiito fácil, pelo menos tem sido, e não nos contentamos com pouco... para quem ainda não percebeu (acho dificil), sou absolutamente encantada por bebés, pelos meus filhos, pela gravidez. O mundo da maternidade em si fascina-me desde que me lembro de mim. Talvez desde os 4 anos. Por isso sempre que sentimos que está na altura, sou incapaz de resistir à maternidade de novo. E depois vou espreitá-los e oiço as brincadeiras do faz de conta, o quanto se entretêem os dois, e é tão bom. Ver que somos capazes de criar crianças felizes e dadas. Simples e resolvidas. Isso, e a penas isso, faz-nos imensamente felizes. Então, como não querer mais?

A única coisa que me preocupa é a minha idade. aos 27 anos vou ter três filhos. Vou continuar fértil por muitos outros, pelo menos mais 20. Por isso se me perguntarem se ficamos por aqui, honestamente não sei. Não tenho resposta! :)


Atrás no tempo, o Xavier de 7 meses e a Leonor de 2 anos e meio. Que vontade de rever momentos assim, mas com a Leonor em modo "anita-mamã".

3 comentários:

  1. Cada vez que vejo as suas fotos dá-me vontade de repetir momentos irrepetíveis como o casamento,o nascimento do meu Zé Maria e do meu Manel...mas acima de tudo quando leio os seus textos sobre maternidade sinto-me tão identificada, tão próxima, que quase vivo os progressos da gravidez como se fossem os meus. Deixa-me a pensar também no meu terceiro filho, aquele que quero tanto, mas tanto ter. Parabéns pelo seu trabalho e parabéns pela felicidade que transporta nas suas fotos. Se há coisa que não engana é um sorriso de uma criança e, o dos seus só mostra que são crianças felizes e plenas.
    Quanto à ciática dou-lhe o meu rémedio natural: sementes de abóbora! É falta de magnésio e elas tem-no na mais elevada quantidade. Há no celeiro sem sal e sem casca. :)

    PS: Não sou uma doida qualquer! Tirou umas fotos fantásticas à minha amiga Joana Borges e aos seus filhotes e a Ana João da Camila Camomila é minha amiga desde os 3 anos!

    ResponderEliminar
  2. Eu acho, sim, que são corajosos.
    Não deve ser fácil ter três filhos ainda para mais em Portugal, jovem e se calhar sem "ajuda" (pelo menos total).
    Percebo que consigam tirar grande parte da V/ felicidade dos V/ miúdos mas isso não é apenas porque são queridos e fáceis, é porque vocês mesmos devem ter nascido com o destino de serem excelente pais. Todos os pais que fazem o melhor pelos seus filhos são excelentes. Mas com certeza haverá pessoas cujo destino era ser ainda "mais excelente" (que rico português!).
    Eu não vos conheço pessoalmente por isso dever-me-á ser mais fácil pensar que é tudo rosas, porque nos blogues é normal vermos aspectos mais positivos que os negativos; contudo, há coisas que não enganam...

    ResponderEliminar
  3. São corajosos, é verdade... mas não fiquem por aqui!! :)

    ResponderEliminar