Gosto

Gosto de ser a mãe destas cabeças amarelas. Gosto de ser a que passa vergonhas pela insolência do Xavier, mas que ao mesmo tempo se sente orgulhosa pela simpatia e genuidade dele. Gosto de ser a mãe aparvalhada com a cara querida da Leonor, e de me enternecer com a voz que faz quando se quer portar bem. E de como se esforça por isso. Gosto destes dois, e imagino o terceiro (com algum medo, mas muita coragem) uma mistura de tudo o que encontro de bom nos seus irmãos...




(Herdade da Matinha, Outubro 2013)

1 comentário: