chegamos











Chegamos, e por mais que queira sentar-me e retomar as edições e e-mails, tenho três lapas em cima de mim e do Sebastião todo o tempo. Malas de mês para desfazer, máquinas de roupa para lavar e estender, sopa, "destralhar" o quarto dos brinquedos e outras divisões. 
Daqui a dois dias uma sobrinha nova a viver a um quarteirão de nós (oh dear!) 

Todas as noites que tenho marido em casa e em que me deito bem acordada (são poucas, muito poucas) aquilo que lhe digo repetidamente alterna entre "porque é que me deste filhos assim?" e "Uma mãe nunca pode fugir, percebes?"


[não é que eu queira fugir mesmo, mas tenho dois desejos, um deles é fugir com todos e o outro é trabalhar sem ninguém em cima de mim 5 horas diárias seguidas]




2 comentários: