O outro lado

Há sempre "o outro lado".
Sou, desde sempre, uma mulher positiva. Geralmente sonho acordada, e é por aí que a minha vida se vai alinhavando. Penso no melhor que pode acontecer, penso pelos sonhos. Se as coisas não correrem bem, paro e repenso.

Adoro estar grávida, adoro ir para a maternidade, adoro o recém nascido. Adoro partilhar tudo isto com o meu marido e com a nossa família.

Mas. Há sempre um mas.

Hoje é esse "mas"que me apetece escrever.

O recém nascido não sabe quando é de dia ou de noite. Come de 2 em 2 ou 3 em 3 horas durante as 24h do dia.

A minha roupa não me serve, só algumas calças de grávida e pouco mais.

Da pouca roupa que tenho, fico com ainda menos depois dos bolçados da Graça.
Arranjo me de manhã, contente porque a túnica que me serve nao é assim tão feia, e depois não dura nem 10 minutos!

Atender telefones é um não-assunto.

Visitas as 18:30 é outro não-assunto.

Sentir que é tão bom o tempo que passamos com o bebé, mas ao mesmo tempo sabia tão bem uma folga de algumas horas, e ao mesmo tempo não nos apetece deixá-la com ninguém, ainda.

Sair à rua, ir buscar as crianças à escola, é tudo uma grande uma aventura.
Dos pesos que ainda não devia pegar e já pego, das choraminguices e o colo cheio de mantas para não apanhar frio.
Do dar de mamar na rua sem que ninguém se aperceba.

Almoçar ou jantar refeições quentes é mentira. Ela lembra-se sempre que quer mamar mais cedo...

Queremos tanto ver uma série de seguida, mas ela acorda, mudamos a fralda e ficamos meio parvos ainda a namorá-la...

O marido a acabar a licença e a gastá-la em tarefas, fora de casa, que parece que nunca acabam.

Fazer as contas à licença de maternidade e ao que vamos receber - miséria- e não entrar em pânico.










[Graça com 24 horas. Uma bolinha cor de rosa querida, para contrastar com estes queixumes]






7 comentários:

  1. Há sempre um momento em que nos sentimos assim. Como já é a quarta não preciso de lhe dizer que também isso passará. :) Mas quero agradecer-lhe a coragem de o "verbalizar". Neste mundo das redes sociais há muito a tendência para mostrar apenas o lado bonito (mesmo que às vezes seja só para a fotografia) e pouca coragem para assumir e partilhar a realidade. É claro que o bom também deve ser mostrado e bem precisamos de mensagens positivas e bebés lindos por estes dias :)

    ResponderEliminar
  2. É tão querida a Gracinha. Força Catarina, grande beijinho

    ResponderEliminar
  3. É a primeira vez que deixo um comentário num blog. Sou mãe (de primeira viagem) há 1 mês e 5 dias e venho por este meio subscrever as suas corajosas palavras. E...um grande obrigada! Um grande beijinho

    ResponderEliminar
  4. Então com gémeos não queiras imaginar... Ás vezes só me apetece fugir eheheh

    ResponderEliminar
  5. Tenho uma Caetana com 7 semanas, a minha terceira filha. Percebo e sinto cada uma das suas palavras como minhas. É tão bom ter um bebé, mas é duro, e algumas dores vão ficando cá dentro e pesam. Andei semanas de fato de treino, almocei e jantei já tudo frio, olheiras enormes e exausta por querer chegar aos 3. Não é fácil.
    Eu só queria dormir, dormir.

    Um Bjn e força.

    ResponderEliminar
  6. A Graça é tão linda, Catarina. =) Parabéns por essa menina tão bonita!

    ResponderEliminar
  7. Muito bom. O Bernardo fez um mês dia 7 de Outubro 😊 só não concordo com o dar de mamar na rua sem que ngm repare, temos de pensar "quero lá saber". Beijinhos

    ResponderEliminar