A dança da livre demanda

Percebi o porquê. Nunca tinha dado de mamar sem olhar para o relógio, sem cronometrar cada lado, sem escrever qual dei, sem impor algumas regras. 
Desta vez, dou. Não questiono, dou. Não sei que intervalos faz, não sei o que é uma chucha ou o aero om. Sei que tudo o que ela precisa é de mim, e está em mim, sempre, a resposta.
As bochechas e as pesagens de rotina na pediatra, dizem-me que tudo está bem, mesmo quando passa o dia a pedir para mamar ainda mais que o habitual. Sim, às vezes é mais difícil do que parece, mas sinto-me em paz e a ela também.

A dança da livre demanda. Achava que era uma prisão, uma frase bonita de se dizer (aos outros) um team de um recanto das mais fanáticas da amamentação. Calhou-me agora compreender, resta-me enturmar-me.




1 comentário:

  1. Cá em casa também é assim, a minha Caetana faz o horário. Nunca tive intervalo certo, tanto faz agora aos 4 meses 5 horas como 2. Cansativo, sem dúvida, mas tão bom e gratificante. A minha filha alimenta-se de mim!
    Felicidades para a sua boneca

    ResponderEliminar