Refeições Felizes, Digestões Felizes

Esta semana estivemos, eu e a Graça, a convite da Activia e juntamente com outras bloggers de quem gosto muito, num Brunch no Hotel Pestana Palace, absolutamente
maravilhoso, e a ouvir uma pequena palestra sobre os hábitos dos portugueses à mesa, e
das novas tecnologias, portanto, os telemóveis durante as refeições!
É um tema que me parece tão pertinente! Não tenho uma dúvida de que todos nós
debatemos este assunto, e lutamos contra aquela chamada, ou aquele "preciso só de ver
este e mail, ou esta conta de instagram" exactamente quando nos sentamos à mesa.

(Eu, pecadora me confesso)

Assim, e para ter mais impacto, no inicio do Brunch foi-nos pedido para deixarmos o nosso telemóvel. Foram duas horas sem ele, em que me senti lindamente! Sabe bem a normalidade de ter uma refeição sem o constrangimento do telemóvel, ter as pessoas que nos acompanham disponíveis, sem olhar para ecrãs, e nós também, disponíveis e a conversar olhos nos olhos ;)

O sociólogo Pedro Abrantes apresentou-nos então um breve estudo sobre os hábitos dos
portugueses à mesa, e houve alguns pontos muito surpreendentes.
Sabiam que... ao contrário dos homens, para as mulheres a companhia é mais importante do que a comida, numa refeição?

Mais de 70% utiliza telemóveis durante a refeição, sendo que os homens usam mais que as mulheres?
8 em 10 atendem chamadas, e 93% come em frente `à televisão?
81% concordam que os aparelhos electrónicos prejudicam o convívio  às refeições? Mas
ainda assim 72% não tem a imposição, em casa, de não utilizar os mesmos durante a refeição?
Interessante também saber que... Os Portuenses valorizam mais a boa
companhia à mesa que os Lisboetas. a tradição mantém-se mais a Norte, assim como a
permissão para os filhos se levantarem da mesa: os Lisboetas permitem-nos mais que os Portuenses!
E para rematar.. mais de 50% das pessoas sofrem de mal estar quando dedicam pouco
tempo ás refeições: sofrem de má digestão.

Todos sabemos como são o nossos dias. Uma correria, queremos estar em tudo e a 100%, como pais, profissionais, amigos, filhos, irmãos. A vida é muito intensa e parece atropelar-nos. São tantas as distracções que nos podem "tentar".

Quando era miúda, e não existiam telefones móveis os meus pais nunca atendiam chamadas à hora de jantar ou almoçar. Hoje em dia precisamos de olhar duas e três vezes uns para os outros para voltar a reforçar essa intenção, mas há dias em que alguém já não resiste. Atende nem que seja para dizer: "estou a almoçar, tem que ser rápido".

Outra regra que existia lá em casa, e que trouxe para a minha depois de casar, era a da televisão. Só havia uma, e era na sala. Estava sempre desligada durante as refeições! E, claro, era proibidíssimo comer na sala!

Hoje assistimos a um quebrar de regras que fazem todo o sentido: recorre-se aos gadgets para ajudar os mais pequenos a comerem: seja para evitar as birras seja para garantir que comem!
E, no meio de tantas coisas e porque os pais já estão tão cansados e os querem na cama o mais rápida e tranquilamente possível, "vamos alinhando".

Cá em casa não somos, de todo, exemplo. Apesar de termos como regra os miúdos não mexerem nos nossos telemóveis, computadores ou i-pads (e não mexem mesmo), e termos um Sebastião que não faz jus ao nome, e come mal que se farta, não recorremos às novas tecnologias. No entanto, nem sempre fazemos o mais importante: nem sempre nos sentamos com eles, principalmente ao dia de emana. Notamos que sempre que os pomos a jantar primeiro que nós, as refeições demoram tempo a mais, são mais stressantes e eles invariavelmente acabam por nos deixar de cabelos em pé.

Não é fácil, mesmo, parar tudo o que estamos a fazer, deixar a "vida on line" para trás, os relógios e os horários, e sentarmo-nos a jantar com os miúdos. Mas, sem sombra de dúvida que foram as nossas mais relaxadas refeições, com mais partilha!

Este estudo da Activia é mesmo muito interessante e ajuda-nos a pensar no conceito: mindful eating. Introduzindo o com o lema "Refeições felizes, Digestões felizes", Activia desafiando-nos a comer de forma mais atenta e intensa, mais conscientes, dedicando pelo menos 10 minutos a  uma refeição, porque o stress e as refeições mais pesadas que acabamos por tomar, causam digestões mais difíceis (neste  estudo mais de 50% das pessoas que tem pouco tempo para uma refeição, admitem ter digestões difíceis)

É por isso, e tanto mais, que ACTIVIA propõem que volte a desfrutar do momento das refeições, porque comer é muito mais do que comer, é não perder uma oportunidade única para desfrutar do momento. Devemos enchê-los com experiencias e significados, saborear as refeições e voltar a dar
importância a comer bem, tudo isto ajuda a sua saúde digestiva.
Refeições Felizes, Digestões felizes.

1 comentário:

  1. Cada vez mais nos colamos aos aparelhos electrónicos e nos esquecemos que à mesa temos com quem conversar. Por vezes, chego a achar uma tremenda falta de educação ver as pessoas a mexerem nos telemóveis (porque estão a falar no whatsapp ou assim) enquanto estão a comer

    ResponderEliminar