Felizes

Não tenho uma única dúvida que os meus filhos são felizes.
Vejo-o no sorriso e na confiança da Leonor, quando sai da escola, todos os dias.
Vejo-o nos olhos brilhantes do Xavier a andar de bicicleta, todos os dias, no caminho para a escola.
Vejo-o na ternura do Sebastião, com todos os que estão perto dele.
Vejo-o na Graça, em tudo o que é.

Se sou muito orgulhosa deles é porque o merecem (mesmo nos dias ou horas em que me dá vontade de os rifar- sim, são muito frequentes), mas de resto, o mérito é quase todo deles.

Dá um trabalhão dos diabos por esta máquina a mexer, e talvez esteja a ser um pouco repetitiva, mas todos os dias em que me obrigo em focar neles, esses dias são absolutamente extraordinários. Hoje foi a Graça e o Sebastião. Adoram-se e tiveram o "seu momento". Acordaram da sesta ao mesmo tempo e juntaram-se na nossa cama, em que o Sebastião se perde de amores na descoberta desta irmã.

Estes tempos novos vou dedicar-me mais ao blogue, em registar este crescimento deles, as conversas da Graça (começou a querer falar -ma ma, pa pa); As novas frases do Sebastião, a autonomia dos mais velhos...

 Tem piada, a Leonor e o Xavier de há uns anos atrás deram lugar a outros dois, tão depressa como um piscar de olhos. A mãe que estava a precisar de iniciar um projecto por se sentir tão isolada em casa com dois pequeninos, trocou a pintura pela fotografia.

Hoje penso ao contrário, tranquila em casa com dois minis, penso em trocar a fotografia (por uns tempos curtos) pela pintura.

A vida é maravilhosa quando nos deixamos ouvi-la, quando a sabemos viver e quando gozamos as nossas circunstâncias, e fazemos mais e mais com elas.

É por isto mesmo que me sinto feliz: pela nossa tão boa e complexa realidade.

Happy, happy, happy.


















[Sebastião e Graça vestem Zippy]

1 comentário: