Das férias

Com uma semana de férias ainda pela frente, a gerir os miúdos e o trabalho, uma casa que se desarruma sozinha (?) e almoços e jantares para 6 todos os dias, quase que gritamos por mais férias!

Na verdade, nas férias de sonho de uma família numerosa, não é preciso grandes mordomias ou actividades, bastava SÓ refeições sempre prontas, casa com piscina e praia próxima a pé.

Cá em casa temos babysitter só para quando precisamos mesmo de um tempinho para sair à noite, seja um jantar ou um passeio, por isso fazemos quase sempre férias com a família. Temos uma tropa de irmãs para nos ajudarem :)

Entreter os miúdos vai cabendo a nós, pais, e entre eles irmãos. Sempre que nos pedem atenção ou nos apetece propor alguma actividade "intrometemo-nos" naquela dinâmica deles que tem dias que parece perfeita. O resto do tempo deixamos os miúdos e a vida fluir naturalmente sem impor grandes horários (para além dos do sol e do calor), que para horários já nos basta o resto do ano e a escola.

No entanto, para mim, com filhos madrugadores e sendo eu aquela que acorda e salta da cama, "a morning person", a única regra fundamental é não arrastar a manhã em demasia e pôr as crianças fora de casa com alguma brevidade. Desligar a TV o mais possível.


(Claro que esta minha ideia maravilhosa de os pôr de férias mais cedo, como sempre, muito romântica mas muito maluca- Para no ano a Leonor faz ATL e os rapazes ficam na escola, pelo menos 3 vezes por semana- é que não há paciência nem despensa que resista!)

Estas mini férias no Algarve foram particularmente boas. Muito por culpa da minha cabeça esquecida, que deixou o telemovel esquecido em casa. Pedimos à P que nos ajudasse a preparar refeições e levamos connosco.

De manhã fazíamos piscina, almoçavam cedo, faziam uma boa sesta (todos!) e ás 17 preparavamos lanches em casa para seguirmos para a praia mais leves. Muitas vezes jantava-se pic nic na praia e ainda passavamos nos chuveiros e na piscina de regresso a casa, a tentar dispensar uma sessão de banhos.

Descomplicar, antecipar e planear. Tudo sem grandes stresses. Cremes eram postos em casa, sem areias, e reforçados na praia. Roupas quase nem vestiram! Variavam entre andar em fato de banho e levavam consigo os ponchos/toalha da Lavandiska (menos peso e tralha nas nossas mochilas).

Não levámos brinquedos de praia, comprámos uma pistola de água lá, uns óculos de mergulho que o Xavier namorou imensos dias e teve de surpresa, e uns estrangeiros deixaram-nos umas megas pás que fizeram as tardes deles em escavações ;)

(Temos uma regra gira com os presentes- detesto que dêem uma importância às coisas desmedida, aliás, detesto que dêem essa mesma importância. Por isso, quando nos pedem alguma coisa de brinquedos, nunca damos, deixamos passar uns dias, e compramos (se forem coisas baratas) de vez em quando o que pediram, e oferecemos de surpresa, num daqueles dias em que se estão a portar tão bem, em que não fazem birras nem há "pedinchices". Também não deixamos que os avós ou os tios ofereçam presentes aos outros netos quando um faz anos, com a desculpa do "coitadinho".
Não fazemos dinâmica nenhuma de entrega de presentes quando nasce um irmão, o irmão é a celebração e a festa, e, para mim, não faria sentido associar uma "coisa" a um momento que deveria ser vivido por si só - ainda que as crianças sejam pequenas e imaturas e não compreendam, elas compreendem mil outras coisas que estamos sempre a ensinar- sempre)














































6 comentários:

  1. Lindas as fotos! Os seus filhos sao maravilhosos! Parabens!
    Catarina posso so perguntar a objectiva que usa? É 50mm 1.2?
    Obrigado

    ResponderEliminar
  2. Que descrição pratica das coisas. Adoro.
    As fotos como sempre estão maravilhosas!

    ResponderEliminar
  3. Para mim férias perfeitas também é ter refeições prontas!

    ResponderEliminar
  4. <3 <3 <3 <3
    Mas eles são lindos Catarina, cansativos mas lindos <3

    ResponderEliminar
  5. Catarina, aquilo que penso logo ao ver estas fotos é na sorte que têm de poderem passar as férias com a família alargada. Isso é mesmo um bem precioso! Implica - imagino - uma coordenação de vontades de todos, implica que os cunhados também gostem de estar com a família de origem das suas mulheres, e que haja espaço para todos. Nada disto é banal. Parabéns e desfrutem! Eu, que tenho três irmãos (cada um com a sua família) que adoro, mas com quem estou relativamente poucas vezes, fico com uma inveja boa disso que vocês têm...

    ResponderEliminar