escolas, escolas...

Acabou o ano lectivo, este foi especialmente duro para a Leonor.

Inicialmente ela iria entrar no Externato Luso-Britânico porque a escola da nossa morada não nos agradava muito. Era longe e tínhamos dúvidas em relação ao ambiente.

Surpresa das surpresas entrou na escola que colocámos em segunda opção, a Escola Básica do Bairro de São Miguel, aqui para nós- era a minha preferida, por ser pequenina, e conhecida por um bom quadro e bons professores!


Decidimos que não queríamos perder a oportunidade de a ter numa boa escola pública, muito perto de casa. Assim até "guardaria" vaga para o Xavier, caso os critérios de admissão se mantivessem.

O primeiro ano passou muito bem. Teve um professor colocado nesse ano fora de série. Mas mesmo fora de série, daqueles que todos os pais dizem "que sorte, que sorte meu Deus!" os miúdos andavam felizes, entusiasmados, com tantos projectos, actividades e visitas. Foi um ano tão feliz na vida da Leonor!

Sabíamos que haveria algumas hipóteses de o ter connosco pelo menos por mais um ano. Infelizmente por motivos alheios foi colocado noutra escola.

O segundo ano arrancou sem sabermos quem seria o novo professor da Leonor. Quando chegou, já em Outubro, infelizmente não soube agarrar a turma, e todos vimos os nossos filhos completamente instáveis.

O segundo período começou, com a professora de baixa. O professor que dá o apoio na escola, alternando com a directora, foram assegurando as aulas desta turma. Melhor ou pior, o tempo foi passando até um professor aceitar vir assegurar a baixa da professora. A meio do segundo período lá tivemos substituto (à segunda tentativa) que seguiu os miúdos o resto do ano.

Os professores colocados nesta situação nunca sabem por quanto tempo ficam, os alunos têm de se adaptar a uma pessoa nova, e os professores dar tudo por tudo para conhecerem os alunos quando ainda têm um programa super exigente para articular.


Escusado será dizer que isto foi fatal na estabilidade de todos os alunos. Já nem falo se de facto aprenderam o que precisavam, mas emocionalmente foi complicado.

(atenção que este post não é uma ataque à escola pública - mas apenas um relato de que às vezes, e infelizmente é tão recorrente, o sistema de colocação de professores simplesmente não funciona bem, assim como a pouca flexibilidade que a escola, os agrupamentos ou o ministério apresentam para solucionar estes problemas tendo por base a ESTABILIDADE dos alunos, como a prioridade!)


Ponderei em retirar a Leonor da escola a meio do ano, pensamos muito. No entanto seria pior outra mudança, mantê-la perto do grupo de amigos e de uma infraestrutura já conhecida seria o mal menor.

Depois de tudo isto sentimos que seria importante o Xavier ter uma primária mais estável. Todos os filhos são diferentes, e ele precisa de um acompanhamento mais personalizado e de uma escola mais aberta aos pais, menos alunos em sala.

Já sabe ler há mais de um ano, é um miúdo super curioso, interessado e esperto. Mas sentimos que tem mais dificuldades na parte social/emocional  e proteger por mais uns tempos dar-lhe-há a segurança necessária para crescer bem!

Escolhemos de novo o Luso Britânico pelas óptimas recomendações, ambiente familiar, recreios espaçosos e com uma boa componente diária de inglês, assim como as aulas de programação.

Vai com o Sebastião por uma questão de logística familiar, para tentar não ter cada filho na sua escola, que a dureza das rotinas diárias de uma família de 6 já é complicada o suficiente!

Estou desejosa de o ver na primeira classe, e ele também! Que sonha com isto há meses sem fim :)





3 comentários:

  1. Catarina, estou na mesma! O meu teve sorte no primeiro ano e (penso) que este segundo ano ainda mais. No próximo novamente uma incógnita. Como os filhos são mm todos diferentes, o do meio, que agora inicia o 1º ano, e o bebé ficam num privado. è uma sensação estranha, mas a verdade é q o mais velho esta super bem adaptado e adora a escola (a mesma da Leonor!). às vezes penso que pode parecer estar a oferecer melhores condições uns do que a outros, mas na verdade, mm no privado não sabemos o que vamos encontrar, certo? E nem tudo é melhor! e o mais importante: cada um ser feliz no seu cantinho!

    ResponderEliminar
  2. Ah e si, o Prof da "vossa" turma no 1º ano parecia mm espectacular! Bastou ver a festa de Natal (que diferença...). Hão-de ter ambas as turmas sorte! Das 4, ficámos nas 2 mais instáveis!:(

    ResponderEliminar
  3. O meu anda numa privada e são 27 alunos na turma :( Por sorte, o professor é espectacular senão não sei como seria

    ResponderEliminar