As saudades de um bebé

Eu sabia que este dia ia chegar.

O dia em que acordo e me lembro do recém nascido.

Eu sei que a maioria das mães não acha graça. Que é uma altura em que nada é muito simples e o bebé só come, dorme e chora. Bom, as vezes não dorme. Sei que a amamentação é dificil.

Já vivi isto 4 vezes e sou uma sortuda por isso. Mas parece que nunca me chega.

A mim, ter mais um filho também obriga a grandes mudanças, também me faz por a mão na cabeça e dizer  Deus me livre.

Não sou diferente de ninguém, mas tenho comigo uma imensa paixão por ser mãe. Por ser mãe de um bebé.

Quando penso nestas coisas tenho perfeita consciência que vou pensar semana sim, semana não ate ao dia em que chegar a menopausa. [Hahahaha]

Em breve mudamos de casa, e pensamos. Sempre tivemos filhos em casa própria e não nas casas onde vivemos temporariamente. Casas que alugamos por um ano até encontrar a seguinte.

Vamos mudar de novo para casa própria e sonho com tantas coisas que vamos lá viver... e sonho com... um berço, um bebé.

Mau, Catarina!

As vezes penso no porquê. Esta dualidade de festejar a minha liberdade e o regresso ao trabalho, e ao mesmo tempo desejar voltar tudo para trás e receber um novo filho. Porquê?

Penso que talvez até funcione como uma óptima desculpa para não ir mais longe profissionalmente. Será?

Tento pôr a cabeça em ordem e perceber o que me faz feliz, o quero da minha vida e porque o quero.

Ser mãe a tempo inteiro? Se não quero é pelos outros ou só por mim?

Ter o meu negócio a meio gás para poder conciliar e estar presente na vida dos meus filhos? É uma opção ou uma defesa?

As férias são uma óptima altura para parar e pôr tudo em
perspectiva.









Sem comentários:

Enviar um comentário