NEWSLETTER

© 2017 by Ties. Proudly created by JLDesign

  • Black Facebook Icon
  • Black Pinterest Icon
  • Black Instagram Icon

//

O início

September 27, 2018

Como começou

 

Nos últimos dias muitos de vocês me têm questionado sobre o início deste projecto.

 

Quem segue desde 2011 conhece bem todas as fases, os projectos iniciados, os passos atrás, as cambalhotas, os investimentos e tantas outras aventuras.

 

2011, Maio.

 

Eu tinha 24 anos, a Leonor tinha os seus 2 anos feitos no mês anterior e o Xavier apenas 4 meses.

 

Para trás tinha ficado a Licenciatura em Pintura na Faculdade de Belas Artes, terminado com a  a Leonor ao colo.

Uma exposição (a “Matriarca”) onde consegui trabalhar os temas que me estavam nas entranhas: a Família, as relações, a presença forte e serena da mulher.

 

De certa forma estava feliz e realizada e a preparar mentalmente a próxima exposição. 

Eu achava que iria conseguir, ter o Xavier em casa, a Leonor na escola, tempo para pintar.

 

Numa “suposta” licença com o Xavier em casa, ainda bebé, não foi uma passagem suave para o segundo filho.

O Xavier nasceu de cesariana de urgência, menos de 40 minutos depois de termos induzido o parto, contra as minhas expectativas, os meus desejos e sobretudo, de urgência. 

Não estava preparada para este desfecho, para ser levada a correr para o bloco, de máscara de oxigénio, onde tudo foi rápido e frio. Foi a minha primeira cesariana e eu não sabia ao que ia.

 

Não me apaixonei por ele logo. Apaixonei-me pela Leonor a conhecer o irmão.

Foi um início duro, a Leonor ainda não dormia sempre bem, tive as famosas “dores tortas”, no fundo acho que o meu corpo manteve as contracções depois do parto. Mais a cicatrização, as dores, os gases da cirurgia. Foi um primeiro mês muito duro, em certas alturas senti-me deprimida. 

 

No grande plano era uma mulher feliz, mas sentia uma grande solidão. A maioria dos meus amigos estava numa fase diferente de vida. Aos poucos fomo-nos encontrando.

 

Sempre tive blogues e gostava muito de escrever, a dada altura tinha um para publicar os meus trabalhos, outro só para escrever. Até que, inspirada por tantos blogues estrangeiros, e mais precisamente, o da Mariana Sabido quando vivia ainda em Lagos, senti que me iria fazer bem, de certa forma, alguma companhia, ter um espaço onde registasse o crescimento dos meus filhos, com as fotografias que ia tirando. 

 

Assim foi, o blogue chamava-se tetémãe. Era como a minha Irmã mais nova me chamava, eu era a segunda mãe dela.

Não tinha qualquer pretensão, nem ambição, era só um espaço, um sitio onde os nossos amigos nos poderiam encontrar e saber de nós. E um sítio onde eu poderia escrever sem maçar ninguém. Vocês sabem, quando as mães começam a falar sobre os seus filhos… uma chatice!

 

O tempo ia passando e alimentar o blogue com fotografias dos meus, levou-me a perceber que gostava de os fotografar, que achava que tinha jeito, e que, de certa forma, a pintura e a fotografia poderiam tocar-se.

 

Pensei se haveria espaço. Estávamos no final do ano de 2011, havia 3 ou 4 fotografas de família em Lisboa, eram excelentes, porquê mais uma?

 

Desafiei algumas pessoas que conhecia e tinham filhos e testei. Desafiei-me. Era quase amadora, quando aprendi fotografia não tinha o propósito que tinha agora, por isso trabalhei muito para rever tudo.

 

As primeiras clientes chegaram através de amigos de amigos. Adorei. Entrar numa casa, entrar na dinâmica da mãe e do bebé. Conversei as sessões todas. O ponto comum de algumas mães era a necessidade de mudar. Uma urgente necessidade de adaptar o trabalho à nova fase da vida. Adaptar o trabalho à família, ao bebé. A grande vontade era iniciar um projecto próprio.

 

Percebi que, eu também me identificava muito com isto. Na altura cruzei-me com o projecto The Glow, directo de NY, as entrevistas delas tocavam em todos os assuntos que ia falando com as “minhas” mães - clientes - se o The Glow entrevistava mães ligadas à indústria da moda, eu queria entrevistar mães empreendedoras em Portugal.

 

Em início de 2012 arrancou. Ties foi o nome escolhido, em brainstorming com uma amiga. Começamos a pensar em mães, em projectos. Entre 2012 e 2013 entrevistei 17 mães e foi aqui que se deu o ponto de viragem. 

 

Criei algo que teve Feedback na comunidade, que foi partilhado, que as pessoas gostaram, e que me deu um trampolim incrível. Os meus planos passavam por fazer crescer este projecto, torna-lo mais rentável. No entanto ele fez crescer, de forma orgânica, os pedidos para as sessões de família, nunca mais parei desde então.

 

Á medida que isto acontecia o meu blogue passou de tetemae, a Ties. Todos me passaram a conhecer como “a Ties”.

A partilha da família manteve-se, agora com uma exposição maior, mas sem ter sido forçada ou pensada. Aconteceu.

Foi natural. A dada altura tinha na minha mão a decisão de continuar a ter os meus filhos expostos. Inicialmente não queria que isso acontecesse de uma forma comercial, não queria fazer posts pagos. Não queria ser blogger.

 

Mas já o era. Mesmo que não quisesse. O Feedback e a energia boa que voltava e as palavras de incentivo fizeram-me ficar. Se já estava a acontecer ao menos que fosse em bom, e a espelhar com verdade o que nós somos e a nossa vida em família.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

NEWSLETTER

​ÚLTIMOS POST

November 12, 2019

Please reload

SOBRE NÓS

Olá, sou a Catarina! Tenho 31 anos, cresci e vivo em Lisboa, esta cidade linda que nos faz imensamente felizes.

4 filhos bons, muito bons. A primeira aos 23, e a última nascida aos 29.

LER MAIS >

  • Black Facebook Icon
  • Black Pinterest Icon
  • Black Instagram Icon

ARQUIVO

INSTAGRAM

Please reload

WORK

TRAVEL

FAMILY

LISBON GUIDE

MOTHERHOOD

KIDS

BRANDS

  • Black Facebook Icon
  • Black Pinterest Icon
  • Black Instagram Icon